Colégio Oshiman | Julia Nobre Cocharero
17401
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-17401,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Julia Nobre Cocharero

About This Project

A luta pela água

No tempo em que as galinhas tinham dentes, existia um reino chamado Tamaduateí e outro chamado Anhangabaú. Eles ficavam em um dos maiores desertos do mundo.

Nesses reinos existia um príncipe inteligente e feio, chamado Kim, e uma princesa corajosa, chamada Luana.

Mas, para começar a história, preciso contar a história desses dois reinos. O reino de Tamanduateí se chamava assim por causa do único rio do reino, que atraía tamanduás. O outro o nome era também de um rio, o mais abundante do reino e do deserto.

Um dia, o rio Tamanduateí, que abastecia o reino, secou de vez, enquanto o outro tinha abundância de água. Então a princesa resolveu chamar o rei, a rainha e seus conselheiros para uma reunião.

A princesa disse que poderiam fazer um acordo com o reino vizinho para conseguirem água, mas o rei e seus conselheiros não concordaram com isso, acreditavam que, através da guerra, dominariam o reino de Anhangabaú e conseguiriam o líquido.

A primeira medida tomada pelo rei foi convocar mais homens para seu exército, deixando crianças sem pai e famílias decepcionadas com seu rei. Depois, pediu para que seus soldados treinassem esses homens, para estarem preparados para o combate.

A princesa, tentando impedir a guerra, mandou uma carta para o príncipe de Anhangabaú avisando-o de que iriam atacar o seu reino para dominá-lo e conseguir água. Além disso, ela escreveu pedindo para que se encontrassem na fronteira no dia seguinte.

Ao receber a carta, o príncipe avisou ao seu pai, o rei, que calmamente disse:
– Nós vamos dar um jeito nisso. Vou pedir que nosso exército esteja pronto para

defender o reino.
No dia seguinte, o príncipe e a princesa se encontraram, como havia sido

planejado.
– Precisamos deter essa guerra, mas como? – Disse a princesa preocupada. – O problema não é a água?

– Sim.

– Então, poderíamos pegar a água do rio Vermelho que fica perto do outro reino !

– Mas fica muito longe, seria difícil!
– Você tem razão. – Disse o príncipe decepcionado.
– Mas poderíamos criar uma máquina que levaria a água do rio Vermelho até o

meu reino!
– Assim não teria mais nenhum motivo para guerrear! Vou avisar o rei. – Disse o

príncipe.
– Eu chamarei o melhor inventor de Tamanduateí, ele vai nos ajudar! Amanhã

nos encontraremos aqui novamente.
No dia seguinte, eles se encontraram e conversaram com um novo companheiro,

Vitor, o inventor. Começaram a trabalhar logo que chegaram e conseguiram construir um sistema de canalização.

Mostraram ao rei de Tamanduateí e, assim, conseguiram a água e impediram a guerra. Acabado o conto, acrescentou-se um ponto.

Julia Nobre Cocharero – 6o ano 08 de março de 2018

Category
ensino fundamental II